quinta-feira, 9 de março de 2017

Minha cozinha em Paris (David Lebovitz)














SinopseCozinheiro profissional, o americano David Lebovitz trabalhou por treze anos no renomado Chez Panisse de Alice Waters, até deixar o restaurante para se dedicar a escrever sobre comida. Pouco depois, já autor de sucesso e de um blog que ultrapassaria 2 milhões de acessos por mês, ele empacotou sua frigideira de ferro fundido e o laptop e se mudou para Paris - justamente quando a culinária da França se reinventava e uma nova geração de chefs incorporava à tradição técnicas e ingredientes de diversas partes do mundo. Neste livro, David recria os clássicos da culinária francesa, nos introduz a pratos menos conhecidos e apresenta 100 receitas que refletem o jeito parisiense moderno de comer, como a sopa de cebola, o cassoulet, a omelete de ervas frescas, o croque-monsieur e o coqauVin, e também costelinhas de porco caramelizadas, Cordeiro assado com vegetais refogados e Cuscuz israelense com limão e pistache. Claro, há as sobremesas: Bolo quente de chocolate com calda de caramelo salgada, cheesecake francês, financiers, crèmebrûlée de café e muito mais. Entremeando receitas a deliciosas histórias inspiradas em seu dia a dia, Lebovitz traça também um verdadeiro guia afetivo e gastronômico de Paris, enquanto desbrava a cidade em busca dos ingredientes mais frescos e da madeleine perfeita. Tudo isso ilustrado com belíssimas fotografias.



























Assista ao vídeo:

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Top 10 de 2016!




clique nas imagens para acessar as postagens









Vozes de Tchernóbil (Svetlana Alexievich)













Olimpíadas (Orlando Duarte)













Coleção Folha Cozinhas do Mundo: Uruguai














1001 Vinhos para Beber Antes de Morrer (Neil Beckett)














Bibliotecas brasileiras (George Ermakoff)














Uma viagem pelos países que não existem (Guilherme Canever)













Assim se pariu o Brasil (Pedro Almeida Vieira)















100 Praias que Valem a Viagem (Ricardo Freire)














É isso que eu faço (Lynsey Addario)













Dia do Livreiro: 25 livreiros pelo mundo














Obrigada pela companhia em 2016!


quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Uma viagem pelos países que não existem (Guilherme Canever)














SinopseVocê já ouviu falar da Ossétia do Sul, da Transnítria ou da Somalilândia? E da Abecássia ou de Nagorno-Karabakh? Sabe o que esses nomes estranhos têm em comum? São todos países independentes mas não reconhecidos pelas Nações Unidas. Ou seja, são países com fronteiras, bandeiras, populações, vistos, moedas próprias e sistemas de governo que não fazem parte dos 193 países-membros da ONU. Além desses absolutamente desconhecidos por grande parte da população mundial, figuram nessa lista também nomes bem mais familiares como a Palestina, o Kosovo, Caxemira, Tibete e Taiwan. O viajante Guilherme Canever visitou 16 países não reconhecidos pela ONU e nos presenteou com relatos, histórias e questionamentos sobre cada um desses lugares espalhados pelo mapa mundi. Ele conheceu gente, hospedou-se nas casas dos moradores, experimentou as comidas típicas, viajou de carona, visitou pontos turísticos. Viveu um pouco da cultura, observou os hábitos desses “não-cidadãos de países não-existentes” e transformou toda essa experiência em um livro que, embora seja provocativo, é muito gostoso de ler. O livro começa com a explicação do que faz de um país ser “um País” e como surgem novos países. Em seguida, cada capítulo traz um “não-país” diferente, com sua localização no mapa, suas principais características, o relato de sua experiência em cada um deles, dicas do que fazer por lá e outras curiosidades.






















Assista ao vídeo:

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

São Paulo, Literalmente (João Correia Filho)






Biblioteca Mário de Andrade








SinopseA Pauliceia, hoje tão desvairada como nos tempos de Mário de Andrade, ganha um guia à sua altura. Nele João Correia Filho, que já desvendou os recantos mais charmosos de Lisboa e Paris, brinda o leitor com dicas preciosas sobre a cidade de São Paulo. Ele revela como a terra da garoa - que já foi de taipa sob os jesuítas - adotou o tijolo do ecletismo de Ramos de Azevedo e projeta no horizonte presente o pluralismo da sua ampla diversidade étnica e cultural. Mas, ao contrário dos guias convencionais, este vai descortinando os meandros de cada bairro, ruas, edifícios e museus pelos registros literários de quem cantou a cidade em prosa e verso - dos autores clássicos aos contemporâneos, dos consagrados aos alternativos e "malditos". Flâneur à la Baudelaire, o autor não esconde que alguma coisa acontece em seu coração, e não apenas quando cruza a Ipiranga com a Avenida São João. Suas linhas transbordam a paixão pela megalópole autofágica, que diariamente constrói e destrói coisas belas. Por isso este guia vem em boa hora. Ele recupera retalhos de memória da capital que esconde tesouros insuspeitos até para o mais atento dos viajantes. Deixe-se levar e surpreenda-se. O passeio é recompensador!




















Assista ao vídeo:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...